QUER CONTRIBUIR?

Ainda não é cadastrado?
Você pode fazer a diferença!

CADASTRE-SE!

CADASTRE-SE

ok

Cadastro realizado com sucesso!

VEJA AS IDEIAS QUE JÁ FORAM PUBLICADAS

enviar sua ideia
Gerson Müller

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DESDE A INFÂNCIA, a grande maioria dos pais apóia essa idéia!

Sou Eletricista Automotivo, iniciei na profissão em 92, aos 15 anos como aprendiz, numa época em que a informalidade predominava, mas naquele tempo as Auto Elétricas empregavam no mínimo 1 auxiliar para cada 2 eletricistas, meninos com 12 anos já lavavam peças, limpavam oficinas, e aos poucos ganhavam liberdade para executarem serviços mais complexos, os que se destacavam logo recebiam gratificações e mais tarde um pequeno aumento nos seus míseros salários que no início não chegava a 1/2 salário mínimo, mas naquela época se formaram ótimos eletricistas, até que veio a fiscalizaçao, exigindo o registro dos funcionários, o recolhimento de impostos e encargos e não oferecendo incentivo algum.
O que aconteceu depois disso, foi um tiro no pé, oficinas deixaram de contratar aprendizes, os meninos de 12 anos foram impedidos de trabalhar, a criminalidade e o consumo de drogas começaram a aparecer logo em seguida, pois esses meninos não tinham mais uma ocupação que lhes desse alguma esperança, hoje há uma grande carência de profissionais, não só na minha cidade como em todo o estado
( provavelmente em todo o país), graças a oportunidade que tive, que por muitos foi chamada de "exploração", hoje mesmo não tendo completado o ensino fundamental tenho uma renda mensal melhor que a de amigos que tem formaçao superior.
Minha idéia é a seguinte, que ao invés do governo dar bolsa disso, bolsa daquilo pra pessoas que não trabalham, desse incentivo as empresas para que contratem essas pessoas, desde seus 12 anos, isentando-as totalmente de encargos, pagando férias, 13o salário, fgts, e por que não uma parte do salário.
O dinheiro para isso poderia vir da diminuição dos salário dos políticos, da aposentadoria dos políticos, utilizar para os políticos as mesmas regras de aposentadoria que são usadas para os trabalhadores rurais, apenas isso já seria um enorme corte nas despesas públicas, outra diminuição de despesas viria da diminuiçao da criminalidade e tratamentos de dependentes químicos, e a arrecadaçao seria naturalmente maior depois que esses meninos completassem 16 anos, pois já seriam considerados profissionais, portanto registrados com um salário maior, maior contribuiçao previdenciária.
É claro que isso não se aplica a qualquer profissão, mas o leque de possibilidades é enorme.

E você, o que pensa disso?
Para comentar sobre essa ideia faça seu login ou cadastre-se

1 comentários

CNI disse: 27-08-2012

Gerson, obrigado por sua participação. Compartilhe sua ideia com os amigos. Abraço.

TERMO DE USO

Os sites www.industriatempressa.com.br e www.aindustriatempressa.com.br fazem parte de uma campanha da Confederação Nacional da Indústria e oferecem informações sobre o cenário da economia e da indústria brasileira e um serviço de criação e repositório de ideias sobre o assunto, a partir da integração de diversas fontes de conteúdo.

Para a publicação de ideias do usuário sobre competitividade industrial, o site solicita o envio de informações pessoais, como nome completo e e-mail. O envio dos dados representa a aceitação expressa e irrestrita dos termos de uso abaixo descritos.

O visitante poderá usar este site apenas para finalidades lícitas. Este espaço não poderá ser utilizado para para publicar, enviar, distribuir ou divulgar conteúdos ou informação de caráter difamatório, obsceno ou ilícito, inclusive informações de propriedade exclusiva pertencentes a outras pessoas ou empresas, bem como marcas registradas ou informações protegidas por direitos autorais, sem a expressa autorização do detentor desses direitos. Ainda, visitantes não poderão usar o site para obter ou divulgar informações pessoais.

A CNI empenha-se em manter a qualidade, atualidade e autenticidade das informações do site, mas não se responsabiliza por eventuais falhas nos serviços ou inexatidão das informações oferecidas. O usuário não deve ter como pressuposto que tais serviços e informações são isentos de erros ou serão adequados aos seus objetivos particulares. A CNI tampouco assume o compromisso de atualizar as informações, e reserva-se o direito de alterar as condições de uso a qualquer momento.

O acesso ao site é gratuito. A CNI poderá, a seu exclusivo critério e em qualquer tempo, modificar ou desativar o site, bem como limitar, cancelar ou suspender seu uso ou o acesso.

É responsabilidade do usuário visitar regularmente esta página e consultar os termos então vigentes.